quarta-feira, 18 de abril de 2018

Doramas? Sim, eu assisto

     "Gente do céu, alguém assiste isso?" "Não sei qual a graça que acham nisso" "Por que esse sucesso todo?" falou a pessoa que nunca tinha assistido um dorama na sua vida🙋, mas como dizem os antigos "paguei pela minha língua" e para falar a verdade fiquei bem feliz por isso. Segura que vem post bem grandinho para compensar os meses atrasados

     Para quem é novo nesse mundo, doramas ou apenas dramas, são séries/novelas asiáticas, e não necessariamente precisam ser dramáticas como sugere o nome. Eu particularmente gosto muito dos K-Dramas ("Korean dramas" ou "dramas sul-coreanos") e dos C-Dramas (Chineses), mas também têm os Tw-Dramas (Taiwanes) e J-Dramas (Japoneses)... enfim, é uma diversidade de histórias beem interessante.

     Sobre essas séries asiáticas, inicialmente temos um certo pré-conceito por, sem conhecê-las, acharmos que são todas iguais, mas hoje venho aqui para defendê-las e mostrar um pouco mais desses meus novos amorzinhos a vocês. Um "problema" que temos deve-se ao fato de termos a mente e os olhos muitas vezes tão fixados em séries, vidas e experiências estadunidense/europeias que deixamos de conhecer o que tem de diferente e interessante nos demais países/continentes. Ao contrário do que muitos falam, nem todo asiático é "japa" e as diferenças entre essas pessoas, locais, idiomas e culturas merecem ser conhecidas e conseguimos fazer isso com a ajuda desses doramas.

     Os dramas asiáticos são geralmente bem mais curtos que as séries com as quais estamos acostumada(o)s, o que é maravilhoso para quem gosta de maratonar, mas não quer atrapalhar tanto a sua vida estudantil/social (a não ser que seja como eu e queira assistir tudo o que puder de uma só vez para compensar o tempo perdido 😌), mas isso também depende muito do país, por exemplo, os coreanos são bem menores que os chineses, tendo quase sempre apenas 1 temporada com uma quantidade de episódios menor (já assisti de 2 e de até 40 ep.) e podendo ter de quinze minutos até uma hora de duração cada, assim temos drama para todos.

    Para quem estiver interessado em entrar no maravilhoso mundo dos doramas listarei a partir de agora três dos (muitos) queridinhos, e já vou deixando claro que eles não estão por ordem de preferência. Os dramas abaixo foram os primeiros que assisti e que rapidinho conquistaram meu coração. Como diz uma das bruxas mais icônicas: "lá vamos nós"...

Google Imagens


1º - Fated to love you (Destinado a te amar)
Origem: Coreia do Sul
Episódios: 20


Cometer um erro depois de beber demais pode mudar tudo. Lee Gun (Jang Hyuk) é o sucessor de uma grande empresa dirigida por sua família. Kim Mi Young (Jang Nara) é uma secretária de aparência mediana em uma firma de advogados que ganhou o apelido de “post-it” por causa de sua incapacidade de dizer não a seus colegas que despejam todo trabalho sobre ela. Quando os dois se cruzam em uma noite depois de terem bebido muito, acabam tendo uma aventura de uma noite.O que acontecerá com eles quando Min Young descobrir que está grávida? Será que Nam Se Ra (Wang Ji Won) e Daniel (Choi Jin Hyuk) ficarão de braços cruzados e deixarão que Gun e Mi Young lidem com a situação do jeito deles? “Destinado a te amar" (versão coreana) é uma série dramática sul-coreana de 2014 que é uma recriação do popular drama taiwanês homônimo de 2008. (Resenha e imagem oficial do Viki)

     Quer rir, chorar, amar, ficar frustrado, sofrer, chorar de novo e não querer parar de assistir, mas ter que pausar porque as lágrimas não te deixam enxergar mais nada? assista essa série. Kim Mi Young é uma mulher de aparência normal, levando uma vida comum, com um namorado mala sem alça e sendo também a personagem mais inocente e bondosa que já vi na vida, ao ponto de ser humilhada por várias pessoas sem nunca reagir, dá até vontade de entrar lá e bater em todo mundo que lhe faz mal (é muito sofrimento para uma só pessoa). No entanto, após um acontecimento doloroso que ocorre durante a história ela transforma-se deixando de rebaixar-se e intimidar-se por todos, mas nem mesmo após tanta tristeza ela perde a sua grandiosa beleza interna (que personagem, minhas amigas!).

     Sobre Gun, inicialmente olhei para ele e pensei "esse é mesmo o protagonista?", mas rapidinho ele conquistou meu coração com o seu jeito bem louco de ser e que tem muito mais para mostrar do que aparenta, inclusive é atormentado por algo que o impede de ser completamente feliz. Em meio a suas personalidades completamente contrárias temos um casal muito shippável que é atrapalhado por diversas situações, dentre elas temos uma ex que volta das cinzas⚰ para tentar reconquistá-lo e casar-se com ele mesmo após saber de seu relacionamento com Kim Mi Young.

     Nesse drama temos uns familiares loucos, grandes amigos, um triângulo amoroso (na verdade um quadrado), sofrimento e tudo mais o que pode cativar um coração derretido como o meu, caso faça parte do grupo das manteigas derretidas você precisa assisti-lo. Tão singelo e lindo, esse dorama fez com que chorasse quase, ou da mesma forma que Como eu era antes de você (quem me conhece sabe que não foi pouco) e aos pouquinhos conquistou seu lugar no meu coração.

     AAAAH!!! Não posso esquecer de falar ao povo da Literatura, esse drama tem um pezinho no livro O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas (pai), este que é citado em diversos momentos da história, sem falar que o enredo em si também é inspirado nessa obra maravilhosa, para quem não conhece nenhuma das duas histórias essa pode ser a sua chance.

2º- Love In Trouble (Suspicious Partner)
Origem: Coreia do Sul
Episódios: 40



Noh Ji Wook (Ji Chang Wook) é promotor. Ele é cabeça-dura, bonito, inteligente, durão e bem-sucedido. Ele é tudo que um promotor deve ser, e tem que lidar com uma nova dor de cabeça. Eun Bong Hee (Nam Ji Hyun) é uma promotora estagiária. Ex-atleta de Taekwondo, ela é tanto confiante quanto ingênua. Ela foi designada para trabalhar com o Noh Ji Wook, que não gosta muito dela.   

Logo que param com as briguinhas, Noh Ji Wook e Eun Bong Hee começam a se importar um com o outro. Mas antes que o relacionamento deles tenha um veredicto, o último alvo deles se vira contra eles. Um assassino com amnésia continua cometendo o mesmo crime repetidas vezes, e os dois promotores que o estão investigando são os próximos alvos dele. Há também a promotora Cha Yoo Jung (Nara do Hello Venus), a ex do Noh Ji Wook que o quer de volta a todo custo, e o advogado Ji Eun Hyuk (Choi Tae Joon de Missing 9), um amigo de longa data do Noh Ji Wook, mas que lá no fundo, nutre um ressentimento pelo promotor cabeça-dura.

Agora, Eun Bong Hee e Noh Ji Wook precisam trabalhar juntos para se salvarem. Mas será possível ganhar um jogo de gato e rato quando o assassino desmemoriado não se lembra das regras?
(Resenha oficial do DramaFever).

      Apaixonado por um romance cheio de investigações daquelas que bancamos CSI tentando descobrir quem é o serial killer da história e depois as razões por trás de vários crimes? esse é para você. Tá vendo essa imagem fofinha? NÃO SE ILUDA, porque esse dorama é recheado de crimes, intrigas, conspirações, mentiras, "profissionais" duvidosos que mostram as falhas e a realidade por trás da "justiça", pois querendo ou não, sabemos que algumas coisas ali retratadas infelizmente acontecem na vida real.

     Essa série é um tempestade de sentimentos com  personagens secundários que têm muitas histórias para contar e um assassino que te fará gritar com a tela na esperança de que alguém escute que essa pessoa não vale o que o gato enterra😡, meus parabéns ao ator que fez com que eu passasse tanta raiva (você merece o Oscar, meu caro).

      Sobre os protagonistas, quanto amor! fiquei encantado com a química do casal, mesmo que demorem um século para ficarem juntos e quando isso finalmente acontece... oppa (entendedores entenderão)... assistam para descobrir, garanto que dirão "só vou assistir mais um episódio" e quando perceberem estarão terminando o 40º episódio em plena 3 horas da manhã para matar a curiosidade dos porquês daqueles acontecimentos😲. Love in trouble é SUPER indicado para o momento de "não tenho nada o que fazer" e gosta daquelas boas séries de investigação envolta por um romance maravilhoso.


3º- My Secret Romance
Origem: Coreia do Sul
Episódios: 13


    

     Um "Owwwn" para o primeiro dorama que assisti na vida e pelo qual me apaixonei, nele conhecemos Lee Yoo Mi (Song Ji Eun), que após um dia complicado tem um caso de uma noite com Cha Jin Wook (Sung Hoon - crush😍)  sem sequer saber exatamente quem era o rapaz, Yoo Mi foge envergonhada pela manhã e só descobrirá quem realmente é aquele homem alguns anos depois quando por acaso vai trabalhar na sua empresa, no entanto finge não lembrar do que aconteceu entre os dois e dos sentimentos que ainda guarda consigo. Essa série é a menor e mais cômica das três e garante altas risadas, bem levezinho, ótimo para esquecer o estresse do dia a dia e aquecer o coração quando já estamos desiludidas com o amor😂.

     My Secret Romance também tem personagens secundários maravilhosos, relações familiares complicadas, pessoas que desejam atrapalhar a relação do casal (tem que ter, né?), altas confusões e cenas lindinhas que realmente mexem conosco, então quando acaba dá uma dorzinha no coração e aquela vontade de quero mais, não é por acaso que fiquei viciada após essa série. 

     Já assisti dramas de outros países, mas tenho uma queda em especial pelos coreanos, porque eles são (para mim) os que mais conseguem trazer à tona o nosso sentimentalismo, afinal o que é realmente exaltado nesses relacionamentos é o amor de uma forma mais pura e sem excessos como vemos em produções de outros lugares.

     Quem estiver interessado em conhecer alguns dramas coreanos pode encontrá-los em alguns streamings devido ao boom deles aqui no Brasil, temos alguns na Netflix, e em outros especializados nesse tipo de programação como o DramaFever e o Viki, com algumas séries gratuitas e também a versão premium (paga) para ter diversos outros conteúdos liberados e sem aquelas benditas propagandas (aaah, caso algum dos dois, ou os dois, quiserem me patrocinar sintam-se à vontade😏).

     Abelhuda(o)s, por hoje é só, mas pretendo trazer sempre que possível dicas de novos doramas (já tenho uma lista imensa que só aumenta), pois eles já são um vício na minha vida e a prova de que vale a pena abrir nossa cabeça para novas histórias e culturas. Em breve também trarei dicas dos dramas de outros países, aguardem!


P.S.1: Ah, para assistir a toda a temporada das séries gratuitas do DramaFever você precisa fazer um cadastro com o E-mail ou Facebook, mas não será cobrado nada, apenas se você quiser tornar-se premium.
P.S.2: As séries nessas opções estão apenas legendadas, mas o Canal Brasil estão passando alguns dublados pela noite, para mim é meio estranho por já estar acostumada a ouvir o áudio original, mas quem ainda não assistiu pode até gostar, não desistam de tentar.

segunda-feira, 19 de março de 2018

Que as mudanças comecem...

      Sou dessas que acredita que mudanças sempre servem para melhorar alguma coisa na nossa vida e prefiro isso que ficar em um eterno comodismo, por isso ano passado fiz uma postagem AQUI sobre as capas irmãs dos romances de época da Arqueiro, repito que amo essa editora, porém não aguentava mais aquelas gêmeas que só lembram as blusinhas bonitinhas que compramos em certas lojas, mas quando saímos na rua encontramos dez outras iguais (desculpa, mas é verdade). Voltando ao que interessa, todos aqueles que já se cadastraram para algum sorteio ou parceria com a Arqueiro passa a receber e-mails sobre os seus livros (mesmo que nunca tenha ganhado nenhum sorteio, que é o meu caso 😒🙊), enfim, a questão é que há um tempinho recebi um falando sobre a nova série  da querida Lisa Kleypas intitulada "Os Ravenels", essa constituída por quatro livros, sendo "Um Sedutor Sem Coração" o primeiro que foi lançado. Sobre essa história sabemos o seguinte:
  
Devon Ravenel, o libertino mais maliciosamente charmoso de Londres, acabou de herdar um condado. Só que a nova posição de poder traz muitas responsabilidades indesejadas – e algumas surpresas.
A propriedade está afundada em dívidas e as três inocentes irmãs mais novas do antigo conde ainda estão ocupando a casa. Junto com elas vive Kathleen, a bela e jovem viúva, dona de uma inteligência e uma determinação que só se comparam às do próprio Devon.
Assim que o conhece, Kathleen percebe que não deve confiar em um cafajeste como ele. Mas a ardente atração que logo nasce entre os dois é impossível de negar.
Ao perceber que está sucumbindo à sedução habilmente orquestrada por Devon, ela se vê diante de um dilema: será que deve entregar o coração ao homem mais perigoso que já conheceu?
Um sedutor sem coração inaugura a coleção Os Ravenels com uma narrativa elegante, romântica e voluptuosa que fará você prender o fôlego até o final.
Fonte de Resenha oficial e capa: site da Editora Arqueiro

Abelhuda(o)s, meu coração disparou ao ver uma capa bonita dessa, sem falar nessa paisagem que me lembrou a locação do filme de Orgulho e Preconceito (2005), até parece que a Lizzie vai passar correndo lá em baixo e dar de cara com o Mr. Darcy😍, para quem não conhece o livro que serviu de inspiração para essa belezura da qual estou falando temos resenha dessa obra de arte escrita por Jane Austen.

      Voltando a questão da capa, quem viu o padrão anterior que eles estavam seguindo consegue notar as boas mudanças que fizeram, não temos mais aquela imagem cortada que separava a foto do título e muito menos aquela bendita capa verde 🙌 (quem leu a postagem do link lá de cima pegou a referência, caso ainda não tenha visto clica aqui logo). E como prova de transformação do estilo das imagens dos livros podemos comprovar isso com os próximos lançamentos da série que estão abaixo:






P.S.1: Para quem ainda não sabe a diferença entre saga e série, falei sobre isso neste post, então deem uma olhadinha para não ter mais dúvidas;
P.S.2: Não estou dizendo que a Arqueiro viu minha postagem, ainda estou longe desse nível, mas é incrível ver essas novas e lindas capas #ValeuArqueiro #MeNotaArqueiro😉🙋;
P.S.3: Gente, estou tentando organizar minha vida para postar com uma certa frequência aqui no blogue, então não desistam de mim, abelhuda(o)s do meu coração😍.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Top Leituras do Ano de 2017

      Como já é tradição, venho eu pelo terceiro ano seguido com o Top leituras do ano, as anteriores vocês podem ver aqui e aqui também. Para quem não conhece, no fim de cada ano, nesse caso no início😁, faço uma lista dos meus livros favoritos com aqueles que mais chamaram a minha atenção e sobre os quais ainda não comentei aqui no blog. Para o sofrimento geral da nação, esse ano foi o que menos li, para falar a verdade euzinha li MUITO, mas coisas relacionadas ao meu curso e que pode não interessar a maioria de vocês por serem muito técnicas e teóricas, então não estou contando com esses.
Agora, depois das minha desculpas e dramas, vamos ao que interessa:

3º - A Protegida (1º livro da Série The Travis Family), de Lisa Kleypas
Google imagens

Uma escolha pode conduzi-la à felicidade... Ou partir irremediavelmente seu coração.
Liberty Jones é uma garota determinada, mas em sua vida pobre e difícil não há espaço para que ela consiga vislumbrar seus sonhos sendo realizados. Seu único consolo é a amizade e o amor que nutre por Hardy Cates, um jovem que possui ambições grandiosas demais para ficarem enterradas na pequena cidade de Welcome. Apesar da atração irresistível que pulsa entre os dois, tudo o que Hardy não precisa é de alguém para atrapalhar seus planos de sucesso, e ele a abandona no momento mais difícil de sua vida: quando a mãe de Liberty morre tragicamente em um acidente; deixando um bebê para ela criar. Mas a vida traz grandes surpresas e Liberty se vê sob a tutela de um magnata bilionário, que irá oferecer muito mais do que proteção à irmã e a ela, mas também revelará uma forte ligação com o passado obscuro da família de Liberty. O que Liberty não espera é ter de lidar com Gage Travis, o filho mais velho do magnata; o rapaz não aprova a presença dela em sua casa e fará de tudo para afastá-la de sua família... Gage apenas esquece de também mantê-la longe de seu coração.
Às vezes a vida tem um senso de humor cruel, entregando-lhe aquilo que você sempre quis no pior momento possível...


      Primeiro livro da série The Travis Family e minha primeira leitura de do ano passado, sobre o qual já tinha escrito uma postagem, mas ficou tanto tempo no rascunho que acabou não saindo (isso acontece muito comigo, tenho vários posts estagnados), mas agora não pude deixá-lo de lado. 

      Mais dramático que eu só esse livro, que sofredora essa tal de Liberty, perde a mãe, o amigo/carinha que ama, a alegria, basicamente tudo, só não perde a esperança e felizmente encontra  a luz no fim do túnel, porém junto dessa claridade vêm algumas sombras que a acompanharão no desenvolver da história e em meio a tudo isso está Gage que sente algo por ela, mas é impedido por si mesmo por não saber da verdade sobre a vida da jovem e quando finalmente decide entregar seu coração... eles ficam facilmente juntos?? CLARO... que NÃO, porque Hardy (o primeiro amor de Liberty, sim, é aquele que a abandonou) volta dos infernos rico e lindo para reconquistar a mocinha e fazer muito confusão😱.  

      A Protegida é um livro que não dava muito por ele, pensava ser mais um de muitos desse estilo, no entanto me surpreendi muito por ele mostrar uma carga dramática que não esperava. A história têm aqueles personagens que julgamos muito, mas então paramos, pensamos e nos colocamos no lugar dele afinal "será que realmente faríamos diferente?" e esta questão lembra muito algo que eu ouvi sobre um livro não ser ruim, mas é que as vezes não nos conectamos com ele e é por isso que existem casos de lermos ou assistirmos algo e não gostarmos, mas se após alguns anos fizermos isso novamente pode ocorrer o contrário, é tudo questão de vivências, de empatia, temos que nos encontrarmos dentro da história, pois quem faz o livro não é somente o autor, mas principalmente o leitor e eu criei um vínculo com um certo personagem e consequentemente com a história, por conta disso ela entrou na minha lista de favoritos de 2017.


2º - Segredos de uma freira evangélica, de Érica Fontes



       O número dois na verdade vai ser uma releitura, porque acredito que vale a pena ler de novo e esse processo sempre nos traz novas experiências. Há algum tempo assisti uma palestra da professora Érica Fontes (UFPI) falando que tinha escrito um livro e o seu título era Segredos de uma freira evangélica e assim como todos naquele auditório fiquei pensando apenas uma coisa "oi? como é?" e então ela começou a vender a história e fiquei pensando que ela deveria trabalhar naqueles canais de leilão porque ela é muito boa com isso, mas o que mais me conquistou foi perceber o espírito dela, uma verdadeira viajante, pois além de gostar de conhecer países, ela gosta de conhecer pessoas e suas vontades e conseguimos perceber tudo isso no seu livro que traz diversos contos sobre diversas experiências de Malu, uma jornalista que ama viajar e que como é colocado no início do livro, poderia ser eu, você, ou a própria autora, vai saber...

      Tenho certeza que quando ouviram vocês tiveram diversos pensamentos sobre a história, mas digo que ela é completamente diferente dessa primeira impressão que nos dá... na verdade prefiro não falar mais nada, pois esse livro precisa ser sentido, ou melhor, vivido.

      Ah, não posso deixar de comentar a arte simples e maravilhosa que temos e também os "anexos" no qual vemos algumas memórias de viagens da autora que nos faz confundir ficção com realidade, envolvendo-nos ainda mais com o livro. Quem tiver interesse em comprá-lo, não encontrei disponível para venda em nenhum site, mas é só entrar em contato com ela na Universidade ou pelo Facebook, é a primeira pessoa que aparece nas buscas. Só digo que os espíritos livre e o os que gostam de viajar poderão identificar-se seriamente🙋.


     Agora sem mais enrolação, o primeiro lugar vai para... rufem os tambores🥁🥁... THÃNRAAM...


1º - Poemas escolhidos, de Mia Couto

Google Imagens

      Estava olhando algumas coisas no blog e percebi que nunca citei nenhum livro de poema aqui, mesmo gostando muito, mas acho que vocês entendem o quão isso pode ser complicado porque são diversas e variadas "histórias" e sentimentos envolvidos, resenhar prosa é mais simples por ser algo um pouco mais específico o que gera uma certa linearidade, facilitando assim a vida desta pobre blogueira que aqui vos fala. Mas para inaugurar essa linha resolvi trazer ninguém menos que Mia Couto (meu crush) e NÃO, NÃO é uma mulher. Grande e querido escritor moçambicano, António Emílio Leite Couto encanta com tanta magia e amor em suas obras, seja na prosa, poesia, conto ou na sua lista de compra. Sou aficionada por tudo o que ele escreve e desse meio trouxe o livro Poemas escolhidos, no qual estão algumas de suas maravilhas poéticas e fica como dica para quem quer conhecer um pouco da maravilha que é a Literatura Africana da qual pretendo falar mais profundamente, não se preocupem que isso acontecerá daqui para 2020😹, mas vai valer a pena.


P.S.: Anteriormente sempre citava 5 livros, porém pelos motivos já colocados anteriormente em 2017 tivemos apenas o Top 3, mas tentarei conseguir a minha redenção com mais resenhas em 2018, confiemos!

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

A Lasanha e a Salada

      Amo viajar e um dos motivos dessa minha fascinação deve-se ao fato da minha percepção ficar bem mais aguçada nesse período, penso muito na vida, nas diferenças entre a cidade onde moro e a que estou conhecendo, vejo pessoas com suas malas e imagino o porquê de estarem viajando: Problemas de saúde? férias? encontro com o amor? reencontro com o passado?... milhares são as possibilidades. Mas outra coisa que observo são as pessoas que moram nesse local e que têm tanto para mostrar.

Imagem: Pinterest
      Certo dia estava almoçando em um restaurante e na minha frente vejo a seguinte imagem: um homem com seus 30 e poucos anos, cabelo escuro, vestido em uma camisa social rosa, conversando no celular enquanto o apoiava no ombro porque suas mãos estavam ocupadas, a direita segurava um garfo e uma faca e na esquerda o seu prato, este que estava bem alto, repleto de alface para todos os lados, curiosamente olhei novamente e vi que embaixo daquelas folhas todas estava um grande e belo pedaço de lasanha. Na hora, disfarçadamente ri daquela situação que me fez pensar diversas coisas, entre elas a metáfora daquela cena, pois nós seres humanos por vezes somos um prato de lasanha coberto por salada.

      Quantas pessoas não tentam agir diferente de sua essência, essas que são destrambelhadas, organizadas, mau humoradas, despreocupadas, tímidas, desinibidas, extrovertidas ou introvertidas... mas que por vezes mostram-se como uma alface, aquela sem nenhum tempero, nem mesmo uma gotinha de vinagre, isso por acreditarem que não serão aceitas do seu jeito, por sentirem-se pressionadas a agirem de uma forma "apropriada". A lasanha é muito mais saborosa, mas o seu excesso, principalmente de sentimento assusta pessoas que são acostumadas apenas com uma fina capa/folha de superficialidade.

      Para você que vive um dilema sobre qual dos dois ser, como agir, seguir ou não padrões impostos, lembre-se que que a lasanha leva muito mais ingredientes e sabor, então assuma a complexidade do seu prato e sinta-se orgulhoso (a) por seu tempero pessoal que é a sua essência. Deixo uma dica para a sua vida: coma salada, mas seja uma grande e bela lasanha.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...